Primeiro Encontro residencial do Sem Sombras

O primeiro encontro residencial do projeto Sem Sombras aconteceu nos dias 18 e 19 de dezembro, no Centro do Graal na Golegã. No encontro, participaram 20 jovens da Chamusca, de Ponte de Sor e da Barquinha. Ao longo dos dois dias, partilharam-se vivências e perspetivas e debateu-se sobre a forma como vivemos em sociedade, que gera profundas desigualdades e é ambientalmente insustentável. 

No primeiro dia, a manhã foi dedicada ao interconhecimento e ao enquadramento do projeto Sem Sombras – que quer “trazer para a luz” as questões ligadas à igualdade entre mulheres e homens e às outras economias. De tarde, o grupo refletiu sobre a cadeia de vários tipos de produtos – desde a indústria têxtil, à tecnológica, até à alimentar. Em pequenos grupos, pensaram sobre as matérias-primas utilizadas, os recursos necessários à produção, as condições de trabalho de quem produz, os trajetos e os transportes para movimentar os produtos. Houve ainda tempo para o jogo das cadeiras e comparam-se as lógicas de competição com as cooperativas

No segundo dia, o foco esteve nos usos do tempo: a partir das suas próprias experiências e dinâmicas familiares, o grupo refletiu sobre as desigualdades nos usos do tempo entre mulheres e homens e a forma como, habitualmente, as mulheres estão sobrecarregadas com tarefas domésticas e do cuidado, um trabalho não pago e, muitas vezes, invisível e desvalorizado. De seguida, recorrendo a testemunhos de raparigas e rapazes, aprofundou-se o debate sobre os papéis de género, sobre as barreiras que as mulheres enfrentam no mercado de emprego, sobre as limitações dos percursos profissionais devido a dificuldades de conciliação da vida profissional com a familiar e sobre o gozo da licença parental. 

Antes do fim do encontro, as e os jovens empenharam-se em perspetivar o futuro e pensaram em como gostariam de sensibilizar as suas comunidades para os temas tratados no Sem Sombras, na esperança de que mais e mais pessoas partilhem as suas preocupações e se comprometam com as mudanças necessárias. 

E assim foi o primeiro de uma série de encontros residenciais do projeto Sem Sombras. Agradecemos muito ao grupo de jovens que, durante dois dias, se envolveu ativamente nas dinâmicas propostas, com entusiasmo e criatividade!